8 meses de Emilia

Eu nunca fiz aqueles posts de acompanhamento, mês a mês, da Emilia. Primeiro foi por falta de tempo. Mas grande parte foi por preguiça mesmo. Acontece que agora bateu um arrependimento, porque não lembro mais quando foi que ela começou fazer os “truques” de bebê. As datas começam a se misturar na cabeça e confundir com o desenvolvimento da Malu. Então, dessa vez eu resolvi fazer um resumão de tudo o que minha pequena aprendeu, nesses 8 meses morando fora da minha barriga.

– Ela é agitada, curiosa e destemida. Está sempre sorrindo, um sorriso tão grande que até fecha os olhos. Pode enganar as pessoas com a cara de séria, todo mundo acha que é sempre brava. Mas está apenas prestando MUITA atenção. Quando vê uma pessoa nova analisa tudo, olhos, cabelos, acessórios. E quando termina a análise passa para outra pessoa sem cerimônia.
– Desde muito cedo se mostrou um bebê falante. Com 4 meses já balbuciava sem parar. Hoje ela fala um “bababababa” infinito. Seguido por “papapa” e “mãmãmã”. Esse último ela guarda para momentos especiais, tipo reclamar nas trocas de fralda/roupa ou quando eu saio de perto. Algumas poucas vezes ela disse “mamãe” com todas as letrinhas.
– Engatinha com destreza e agilidade. Eu tinha certeza que iria pular essa etapa porque ela prefere ficar em pé. Para se locomover ela costumava se rastejar ou rolar. Mas agora que aprender a arte de engatinhar, não dá tempo de piscar e lá se foi a menina. Um dia eu deixei a Emilia no tapete de EVA na sala e fui buscar um copo de água, na cozinha. Dois minutos, no máximo. Quando voltei ela estava no outro canto da sala, se pendurando nos nichos dos livrinhos. Estava a ponto de derrubar tudo encima dela. Pequeno ataque cardíaco.
– Depois de meses de briga com o peito, com a mamadeira e com qualquer outro alimento, a Emilia começa a se revelar uma pequena comilona. Come tudo com gosto. Papinha, legumes cozidos, pão, pé de chinelo velho, nosso dedo. Hoje mesmo peguei ela comendo uma flor. Uma loucura.
– Por falar em mamar, a ironia do destino me fez ter um bebê que não gosta de mamar em público. Logo eu, a rainha do tetê. A defensora do “mama onde quer e quem se incomoda que se mude”. A Emilia só mama em um quarto silencioso, fresco e tranquilo. Nada de conversas ou tevê ligada. Nada.
– Outra mega ironia é com o Sling. Adoro e sempre quis ser essas mães modernas fazendo tudo com o filho a tira colo. Maaaaaaas, a Emilia odeia. :S Com a Malu eu não consegui usar o sling desde recém-nascido porque eu não sabia posicionar. Só aprendi depois dos 4 meses. Mesmo assim foi uma mão na roda. Já a Emilia ODIAVA a posição em pé no colo, de frente para mim. Ela ficava me empurrando e batendo a cabeça no meu peito (sim, aquele micro bebê de 1 dia de vida já se jogava pra trás para mudar de posição). Consegui usar um pouco quando ela tinha 5 meses e depois tive que aposentar.
– Tem dois lindos dentinhos. E pelo tanto que anda babando, acho que virão mais por aí, muito em breve.
– Eu, sinceramente, não consegui distinguir as famosas fases de desenvolvimento, ou picos de crescimento… Ela é um bebê muito ativo e mantém o mesmo padrão. Só muda mesmo quando saímos da rotina. Ó como sofremos com mudanças na rotina, por menor que seja. Basta uma tarde na casa da vovó para o sono não ser mais o mesmo, nem o humor. Qualquer passeio precisa ser muito bem pensado para não virar um problemão.
– Dorme a noite inteira, das 20h às 7h, com umas duas acordadas para mamar de madrugada. O único problema é que ela se mexe e resmunga a noite inteira. Como meu sono é leve, acordo o tempo todo e de manhã estou acabada. E ela, feliz.
– Já sabe se defender dos carinhos mais brutos da irmã. A Malu adora apertar e agarrar a Emilia. Aperta forte, esmaga a bochecha e diz que é carinho (aprendeu com o pai rs). Antes eu falava para parar (o que sempre gerava um estresse e ciúmes), agora nem falo nada. A própria Emilia já dá uns gritos e uns tapas pra se livrar dos abraços. Deixei de ser a vilã.
– Já manda beijo, faz caminhão, estala e mostra a língua. :P
– É extremamente ninja com as mãos, daquelas que vai agarrando tudo pelo caminho e quem está com ela no colo nem nota. Enquanto você tira a faca que ela pegou com uma mão, ela já pegou um guardanapo com a outra e já comeu.

Quando estava grávida, eu brincava que a Emilia seria “da pá virada”, já que a Malu é toda meiga e delicadinha. Agora eu digo “cuidado com o que você pede” hahaha
A Emilia é mesmo um pequeno furacão. Chegou revolucionando nossas vidas, testando no capacidade cardíaca, jogando nossos conceitos no lixo e completando nosso mundo de amor. E eu não podia estar mais agradecida! <3

2017.01.30-67

 

 

Leave a comment